arte milenar japonesa em papel!!

Origami (do japonês: 折り紙, de oru, “dobrar”, e kami, “papel“) é a arte tradicional e secular japonesa de dobrar o papel, criando representações de determinados seres ou objetos com as dobras geométricas de uma peça de papel, sem cortá-la ou colá-la.

O origami usa apenas um pequeno número de dobras diferentes, que no entanto podem ser combinadas de diversas maneiras, para formar desenhos complexos. Geralmente parte-se de um pedaço de papel quadrado, cujas faces podem ser de cores ou estampas diferentes, prosseguindo-se sem cortar o papel. Ao contrário da crença popular, o origami tradicional japonês, que é praticado desde o Período Edo (1603-1897), frequentemente foi menos rígido com essas convenções, permitindo até mesmo o corte do papel durante a criação do desenho, ou o uso de outras formas de papel que não a quadrada (rectangular, circular, etc.).

Segundo a cultura japonesa, aquele que fizer mil origamis da garça de papel japonesa (Tsuru, “garça“) teria um pedido realizado – crença esta popularizada pela história de Sadako Sasaki, vítima da bomba atômica.

Artistas

  • Akira Yoshizawa (吉澤 章, Yoshizawa Akira) – criador do repertório moderno de modelos e simbologia
  • Bruno Ferraz – autor de livros sobre origami no Brasil
  • Carlos Genova – autor de livros sobre origami no Brasil
  • Eric Joisel – Francês famoso pelas suas esculturas em dobras de papel ultra-realistas
  • Issei Yoshino – famoso artista pela composição multimodular de esqueletos de Tiranossauro e Triceratops.
  • Jeremy Shafer – Americano, membro do OrigamiUSA, publica o folheto BARF e criador de vários modelos
  • John Montroll – Autor com mais de 15 livros de origami, grande divulgador no Ocidente da arte.
  • Kunihiko Kasahara – especialista em origamis poliédricos e animais
  • Lena das Dobraduras – autora de livros sobre origami com contaçao de historias no Brasil
  • Makoto Yamaguchi – autor japones especialista em kusudamas
  • Mari Kanegae – autora de livros sobre origami no Brasil
  • Nicolas Terry – Artista francês conhecido por suas obras com estilo cartunizado
  • Peter Engel – Influente artista de origami e teórico
  • Robert Harbin – Popularizou o origami na Inglaterra, apresentou uma série de curtas intitulada Origami, produzido pela Thames Television da ITV
  • Robert J. Lang – Autor de inúmeros livros
  • Satoshi Kamiya (神谷 哲史, Kamiya Satoshi) – grande criador de modelos complexos,
  • Seiji Nishikawa – um dos criadores do Origami Tanteidan
  • Tomoko Fuse (布施 知子, Fuse Tomoko) – criadora de várias séries de máscaras e origamis modulares
  • Toshikazu Kawasaki (川崎敏和, Kawasaki Toshikazu) – matemático japonês famoso por várias dobraduras geométricas, incluindo a Rosa de Kawasaki
  • Tadashi Mori – criador de alguns origamis e kusudamas, tem vários vídeos ensinando e apresentando

História

Conforme se foram desenvolvendo métodos mais simples de criar papel, o papel foi tornando-se menos caro, e o Origami, cada vez mais uma arte popular. Ainda assim as pessoas menos abastadas se esforçavam em não desperdiçar; guardavam sempre todas as pequenas réstias de papel, e usavam-nas nos seus modelos de origami.

Durante séculos não existiram instruções para criar os modelos origami, pois eram transmitidas verbalmente de geração em geração. Esta forma de arte viria a tornar-se parte da herança cultural dos japoneses. Em 1797 foi publicado um livro (Hiden Senbazuru Orikata) contendo o primeiro conjunto de instruções origami para dobrar um pássaro sagrado da India. O Origami tornou-se uma forma de arte muito popular, conforme indica uma impressão em madeira de 1819 intitulada “Um mágico transforma folhas em pássaros”, que mostra pássaros a serem criados a partir de folhas de papel.

Em 1845 foi publicado outro livro (Kan no mado) que incluía uma coleção de aproximadamente 150 modelos Origami. Este livro introduzia o modelo do sapo, muito conhecido hoje em dia. Com esta publicação, o Origami espalha-se como atividade recreativa no Japão.

Não seriam apenas os Japoneses a dobrar o papel, mas também os Mouros, no Norte de África, que trouxeram a dobragem do papel para Espanha na sequência da invasão árabe no século VIII. Os mouros usavam a dobragem de papel para criar figuras geométricas, uma vez que a religião proibia-os de criar formas animais. Da Espanha espalhar-se-ia para a América do Sul. Com as rotas comerciais terrestres, o Origami entra na Europa e, mais tarde, nos Estados Unidos.

fonte:pt.wikipedia.org/wiki/Origami

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: