arquivo

Anninha Camargo

 

 

 

 

 

Camera panorâmica Al Vista – 1900

Camera de repetição New Gem – 1901

Camera Tourist Multiple – 1913

 

 

Talvez pelo fato de já termos nos acostumado a ter acesso fácil à tecnologia, muitas vezes não enxergamos a real importância das coisas. Você conseguiria imaginar como seria a vida sem a fotografia?
idéia por trás destas máquinas, ou seja, a idéia da fotografia surgiu por volta de 350 a.C, quando o filósofo grego Aristóteles criou um método de observar os eclipses solares sem prejudicar a visão: a câmara escura. Aristóteles fez um pequeno furo na câmara, no qual a luz passava e formava a imagem em seu interior. Este método foi importante pelo fato de ter sido por meio dele que foi possível se conhecer os princípios óticos.

A câmara escura foi a primeira máquina fotográfica da história, se assim podemos dizer. Com seu aperfeiçoamento, como a criação de lentes, por exemplo, o que proporcionou imagens mais nítidas, surgiu outra necessidade: como fixar as imagens?

Thomas Wedgwood deu um importante passo nesse sentido, tendo usado, no início do século XIX, a substância química nitrato de prata para fixar as imagens da câmara escura. Entretanto, este processo durava várias horas!

Fonte : http://www.historiadetudo.com

Anúncios

Chama-se caricatura todo desenho que acentua detalhes ridículos. O desenho caricatural constitui um gênero de cunho satírico, mas não obrigatoriamente cômico. A caricatura é a reprodução gráfica de uma pessoa, animal ou coisa, de uma cena ou episódio, exagerando-se certos aspectos com intenção satírica, burlesca ou crítica. O vocábulo (do italiano caricatura, de caricare, “carregar”, “acentuar”) foi utilizado pela primeira vez em 1646, para designar uma série de desenhos satíricos de Agostino Carracci que focalizava tipos populares de Bolonha. O termo, porém, já fazia parte do jargão artístico.

 

A princípio considerada mero divertimento, a caricatura tornou-se importante atividade artística. Entre seus cultores incluem-se diversos nomes significativos na história das artes visuais. A propensão para o caricatural ocorre em todos os artistas de tendência expressionista – não fora o expressionismo, mais do que um simples estilo, uma forma original de conceber o mundo e a existência.

 

 

 

Fonte.: http://www.emdiv.com.br

Sim! esta é uma parte da pintura O quarto , de Van Gogh , retirada do site google art project que nos presenteia com as obras vistas assim, de tão perto, com tantos detalhes, que causa tanta emoção…

Quarto em Arles é um quadro do expressionista holandês Vincent van Gogh, pintado em outubro de 1888. A obra é, sem dúvida, uma das mais conhecidas obras do artista e até mesmo do mundo. O famoso quadro retrata o quarto , que Vincent van Gogh alugou numa pensão (hoje bastante conhecida), na cidade de Arles, na França, país onde trabalhou durante quase toda a sua existência. Pintou a obra mais de duas vezes, cerca de um ano depois, enquanto estava internado no hospício de Saint Rémy-de-Province. Hoje a obra original está exposta no Museu van Gogh em Amsterdã, Países Baixos.         A segunda versão da pintura encontra-se no Instituto de Artes de Chicago.Terceira versão da pintura Vincent van Gogh: Quarto em Arles (1889) óleo em tela, 72 × 90 cm Musée d’Orsay Van Gogh, a pedido de seu irmão Theo, fez uma cópia de Quarto em Arles em 1889. A “cópia”, entretanto, não é exata; notasse o uso de tons mais azuis que o original, redução da ênfase das fendas no assoalho, bem como diferenças em dois porta-retratos nas paredes.

Deliciem-se no http://www.googleartproject.com/collection/van-gogh-museum/artwork/the-bedroom-vincent-van-gogh/330267/

OS AMORES DE PICASSO

  Da esquerda para a direita: A primeira de todas, Fernande Olivier, Françoise Gilot, Olga Kokhlova, Dora Maar e, a última, Jacqueline Roque.

A vida e arte de Picasso estão completamente interligadas, já que sua vida pessoal esteve sempre presente em seu trabalho. Quando tinha um novo amor, este constantemente era retratado em suas telas, e quando este amor acabava, a figura de uma adoração do passado era distorcida e algumas vezes aparecia em suas pinturas como um monstro. As mulheres na vida de Picasso sabiam quando estavam sendo trocadas, simplesmente através da observação de seu trabalho.

Picasso nasceu em Málaga, na Espanha, e posteriormente adotou o sobrenome de solteira de sua mãe, Maria Picasso Lopez. Seu pai, José Ruiz Blasco também era um artista.

Picasso estudou em escolas de arte de Barcelona e Madri, e após visitar Paris em outubro de 1900, ele passou a viajar entre a Espanha e a França, até 1904, quando se estabeleceu na capital francesa.

Ao longo dos anos, Pablo Picasso aventurou-se por estilos diversos. Ele revolucionou a escultura, utilizando objetos do dia-a-dia como matéria-prima, ampliando a definição entre o artístico e o não-artístico. Em suas pinturas, Picasso experimentou diferentes formas e cores, e também diferentes movimentos artísticos, como o surrealismo.

Picasso foi um artista ativo até o fim de sua vida. Trabalhando sistematicamente na escultura, cerâmica, pintura e nas artes gráficas, ele continuou explorando seu talento até a sua morte, ocorrida em 1973. Picasso faleceu em casa, em Notre-Dame-de-Vie, na França no dia 8 de abril, aos 91 anos.

Fonte.: http://lumoura.com.br/2008/01/a-vida-e-os-amores-de-pablo-picasso

O fotógrafo americano Tom Storm desenvolveu uma nova forma de retratar as paisagens em suas viagens: através do reflexo delas em bolhas de sabão.

Storm conta que desenvolveu sua técnica por acaso em 2006, ao fotografar uma bolha de sabão em Galway, na Irlanda, e posteriormente perceber a imagem refletida.Desde sua descoberta, o fotógrafo decidiu incluir entre seus pertences em cada viagem pelo mundo uma solução para fazer bolhas e fotografá-las.Ele afirma que suas fotos são 100% naturais, sem nenhuma manipulação digital. Todas elas são vistas “como foram clicadas”, ele observa.

Pessoal, mais fotos em

http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/4430-fotografo-retrata-paisagens-pelo-reflexo-em-bolhas#foto-82568

A arte é uma mentira que nos permite atingir a verdade
(PABLO PICASSO)

Mais de que uma atividade lúdica, fazer e colorir desenhos tem um papel muito importante no desenvolvimento de várias capacidades infantis, mas não só. Um desenho feito por uma criança exprime emoções, opiniões, medos, dúvidas e características da sua personalidade. Não é por acaso que os desenhos são uma ferramenta de trabalho preciosa nas avaliações psicológicas infantis e terapias posteriores.

As crianças privilegiam uma folha de papel branca e lápis de cera para exprimir as suas opiniões, sentimentos e medos – muito mais do que a comunicação verbal. É esta a forma que os pequeninos encontram para contar uma história que terá, invariavelmente, representações de cenas e de pessoas da sua vida real. Um desenho encerra um  grande número de significados, presentes em pequenos pormenores que podem não ser imediatamente evidentes, mas que com um olhar mais atento podem revelar algo que possa estar a afetar a criança de forma negativa.

 

Saiba mais no site

http://colorirdesenhos.com/artigos/como-interpretar-desenhos-criancas