arquivo

Andreliza Camargo

O designer João Faissal é daqueles bem viajados. Em cada lugar que ele passou (e são muitos) guardou uma nova experiência, que deixou o repertório dele cada vez mais rico. Peças publicitárias, trabalhos com moda e até mesmo intervenções urbanas surgiram das ideias desse criativo de João Pessoa. F.Biz, Soda Virtual, DDB Barcelona são alguns dos lugares que Faissal já compartilhou talento.

http://pixelshow.com.br/sp

Anúncios

Nascido na Rússia e radicado em Israel, Denis Zilber instiga a ir longe aqueles que observam sua arte talentosa. A estética presente nos traços deste ilustrador, que não teve educação formal, é bem humorada e traz para a tela personagens estereotipados, como cowboys e piratas. Denis já deu vida a diversas figuras, tanto para agências como para estúdios de animação, sem contar os trabalhos feitos para as revistas QG e Playboy.

http://pixelshow.com.br/sp

Alex Hornest (Onesto) nasceu em São Paulo, em 1972. Pintor, escultor e grafiteiro, ele começou a fazer sucesso nas ruas de São Paulo em 1984. Segundo ele, o seu trabalho tenta discutir a relação entre a cidade e os seus habitantes. Improvisando, é assim que Onesto tenta captar a essência das pessoas e os seus movimentos em meio ao caos. Com mais de 10 exposições individuais entre Brasil e Estados Unidos, Onesto é um dos nomes mais conhecidos no Street Art no Brasil. Além disso, ele trabalha como produtor de vídeos clipes e ilustrador. Há mais de 20 anos ele relata as suas vivências e experiências a partir de uma técnica intrigante e admirada por muitas pessoas.

fonte:http://pixelshow.com.br/sp

A fase da infância é a fase das descobertas, das novidades, do aprendizado. Senso estético, sensibilidade e criatividade são coisas que podem ser ensinadas através da Arte, principalmente as Artes visuais. Nesta idade desenvolver a criatividade usando coisas manipuláveis são excelentes maneiras de aprender, alem de fazer com que a criança se sinta bem em termos de utilidade.

Para que a criança tenha o máximo desempenho de sua capacidade cognitiva, é necessário que haja um diálogo entre todos os envolvidos no processo, e mais do que isso é necessário que o mesmo diálogo seja ampliado, desenvolvido, trabalhado, estimulado, aprimorado e praticado com constância.

A educação infantil acompanhada de aulas de Artes sem dúvida ajuda muito no processo do desenvolvimento da criatividade e de outros aspectos fundamentais que a mesma precisa desenvolver para poder entender outras coisas mais a frente, alguns anos. Mudar e criar projetos como esses sem dúvida são uma forma de enriquecer bem mais a educação, o que de fato traz grandes mudanças em longo prazo na vida de muitas pessoas bem como donosso país.

 

 

http://www.sempretops.com/educacao/artes-visuais-na-educacao-infantil/

Lançamento oficial da 4ª Bienal do Livro de Rio Preto

  Orlandeli/Editoria de Arte   

Ariana Pereira 

A Secretaria Municipal de Cultura realiza hoje, às 10 horas, no auditório do Senac, o lançamento oficial da 4ª Bienal do Livro de Rio Preto, que será realizada de 30 de abril a 9 de maio do ano que vem, na Swift. Como parte do lançamento, a atriz Beth Goulart faz uma leitura cênica do texto “As águas do Mundo”, de Clarice Lispector. A leitura cênica é apenas uma mostra do que deve vir por aí na edição da bienal do próximo ano. Com a temática inteira voltada para a “Palavra”, o evento contará com diferentes módulos que abordam o conceito em atividades que passam por palestras, interpretações e inserção da literatura no cinema. “Fazemos esse lançamento com tanta antecedência para termos mais tempo para trabalhar na bienal e incentivar, principalmente, os expositores. A edição do próximo ano será bastante reformulada em relação às anteriores”, afirma o secretário de Cultura, Deodoro Moreira.]

A presença da atriz Beth Goulart, de acordo com Moreira, é mais do que apenas promover o lançamento. Ela e outros atores já confirmaram presença na bienal para o módulo “Palavra em Cena”. Para o módulo “Palavra Exposta”, alguns escritores também estão na lista dos convidados para a próxima edição da bienal do livro de Rio Preto. “Além desses dois espaços, em 2010, haverá um módulo que trata da literatura transposta para o cinema. É o tratamento da palavra em relação ao mundo cinematográfico. A ‘Palavra’ vai ser o mote principal, as sensações no espaço em que os atores encenam, o visual, por meio da palavra filmada nos cinemas. Dessa forma, cada espaço vai dar uma abordagem, uma descrição da maneira que a ‘Palavra’ será tratada em cada um deles”, explica o secretário.

Moreira reconhece que o tema escolhido pelos organizadores para trabalhar as diferentes frentes da bienal é amplo e oferece inúmeras possibilidades. Ele acredita, no entanto, que o tempo disponível para fechar a programação do evento possibilitará caminhos diferenciados de se explorar o conteúdo proposto pela organização. “Hoje, vamos apresentar rapidamente as propostas para o próximo ano, com uma pequena cerimônia e apresentação de vídeo, e deixar um bom tempo para que a atriz Beth Goulart faça a leitura cênica do texto de Clarice Lispector.” A primeira edição da bienal foi realizada em 2002, na Praça Cívica; a 2ª bienal, em 2006, foi na Swift; e a terceira edição, realizada em 2008, teve como sede novamente a Praça Cívica.

Preparação

A escolha de “As Águas do Mundo” para o lançamento da Bienal não foi feita pelos que estão à frente do evento. Moreira afirma que a opção foi da própria atriz Beth Goulart que pesquisou extensamente a obra de Clarice Lispector. Pesquisa que culminou em um espetáculo que inclui obras da escritora. “No texto para o espetáculo ‘Simplesmente Eu, Clarice Lispector’ trabalho trechos de ‘Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres’ e ‘Perto do Coração Selvagem’ e dos contos ‘Amor’ e ‘Perdoando Deus’”, explica a atriz. No espetáculo, Beth Goulart trabalha não apenas a obra da escritora, como também aborda temas da biografia de Clarice Lispector. Para tanto, a atriz serviu-se de documentos biográficos e de depoimentos de pessoas que tiveram contato com Clarice. O texto e a produção da peça são de autoria de Beth Goulart. A pesquisa forneceu material para a construção do texto e para a atriz encarnar a escritora: o gestual, a forma de falar, inclusive a postura de Clarice são buscados pela atriz em cena.

Para o lançamento da bienal do livro, Beth Goulart afirma ter escohido um trecho mais curto para, segundo ela, deixar os espectadores com “água na boca”, já que ela deve retornar em abril para o evento. “Achei melhor fazer um conto um pouco mais curto. Antes de fazer a leitura cênica, devo falar um pouco da escritora e do processo de pesquisa e construção do espetáculo. Um processo com mais de dois anos de duração. Quando voltar a Rio Preto, para a bienal, devo fazer algo do espetáculo. Por enquanto, é só para deixar um gostinho de quero mais”, diz Beth Goulart. Além da atriz, o secretário de Cultura Dedororo Moreira afirma que o ator Paulo Goulart e a atriz Nicete Bruno devem estar entre os convidados para a 4ª Bienal do Livro de Rio Preto.

Investir em ações culturais é um dos princípios da Saraiva MegaStore. Para este mês de dezembro, a rede traz dois sábados de pura contação de histórias para as crianças. Os pais adoram essas atividades porque ativam a criatividade e a imaginação dos pequenos. Confira a programação e participe.

1/12, sábado, 15h

Hora da Criança Especial de Natal Contação da história O Burrinho pequenino

Há mais de dois mil anos, um menino de família humilde cuidava do seu burrinho chamado Pequenino. Um dia, seu pai precisou vendê-lo. O menino desceu as montanhas e foi à cidade encontrar alguém que cuidasse dele com carinho. Depois de muita procura em vão, apareceu um homem bom com sua esposa grávida. Levaram o burro por apenas algumas moedas até Belém, onde ela daria à luz um filho.

8/12, sábado, 15h

Hora da Criança Especial de Natal Contação da história Papai Noel existe ou não?

Um menino, com a ajuda de seu avô, construiu uma chaminé para que o bom velhinho pudesse entrar e trazer os presentes de Natal. Naquela noite, o Papai Noel ficou entalado por causa do saco de presentes, que era muito grande. Ao tentar ajudá-lo, o menino percebeu que o Bom Velhinho se parecia muito com o seu avô… Descubra o final dessa história!

Fonte: Marketing Saraiva MegaStore