arquivo

Leandro Martim

Ed Chew encontrou uma forma incrível de reduzir o lixo, reutilizando embalagens Tetra Pak para criar lindas luminárias. Usando unicamente esse material, ele dobra as embalagens em formatos triangulares e os encaixa em módulos pentagonais ou hexagonais. Assim não precisa usar cola e cria produtos super diversificados que com a luz produzem um efeito ainda mais impressionante.

Em seu site, o designer ensina todo o processo para criar não apenas as luminárias, mas muitos outros objetos.

O projeto é tão inteligente que foi um dos finalistas do Bright Ideas Lighting Competition de 2011.

 

por 

O australiano David McLeod dedica seu trabalho a criar cartazes tipográficos para transmitir mensagens através da forma, tamanho, textura, do 3D e das cores das letras. As tipografias são inteiramente criadas por ele através da ilustração digital e seu portfólio serve como uma boa fonte de inspiração.

por 

Provando que manter as coisas simples podem resultar em projetos altamente criativos, a equipe italiana do Estúdio Sopa criou a mesa post-it, um projeto que integra as idéias no dia-a-dia. Perfeito para arquitetos, designers e todo o universo criativo, este tipo de mesa pode ser facilmente deslocado de um lugar para outro, conforme a inspiração.  Leia mais em Fresh Home.

post-it table

 

Fonte: blog Soraia Novaes

 O pop-up é uma técnica antiga de enobrecimento de impressos, muito usado em livros infantis e que voltou com a corda toda. Não é um projeto muito fácil de ser desenvolvido, pois o designer precisa ter uma visão 3D muito bem desenvolvida, se ele souber trabalhar com paper toys já ajuda e muito. Independente disso, abaixo segue uma coletânea de cartões que utilizam pop-up como diferencial:

 

Acho que tem muita gente por ai que acha que é hiper fácil trabalhar com tipografia, principalmente com monogramas. Para quem não sabe, são as “capitulares” muito usadas desde antigamente, principalmente nos textos medievais e popularmente usado em convites de casamento. Ele é a prova definitiva de que devemos sempre encarar uma fonte, como sendo uma ilustração, imagem e não somente uma “letra”. Para exemplificar, o artista Giuseppe Salerno criou um monograma da letra “C” e postou o processo criativo, que você confere nas imagens abaixo:

f4fa1ed611a3f56000bd17ec5972ff94f3bb8d1d5f1e7c47a5aea7546008d208d056ade7657d104e7fe5c9519a343ab7

c3909fd4afdcecb8a5a8bd947f94aa375a10123dc720dfdfe0088f63233158fb5c3f8f8d8cdb3a76d48715fbe2438873

Fonte: Typography Served

Você sempre quis entrar no mundo do design automotivo e não sabia como? Veja esta matéria do programa Auto+ da Band, onde o pessoal da Ícon Design dá a dica. Muito orgulho dos meus amigos designers Nélson Lopes e Marcio Sartori da Ícon Design, onde já fiz cursos de sketch de produto, sim, eles não tem só automotivo, e super indico para quem quiser! Confiram a matéria que ficou show, Design automotivo ROCKS!

 

Fonte: Auto+

Essa é uma das idéias mais simples e criativas que eu já vi. O Little Time Clock é um relógio de parede que contém os números impressos bem pequenos, sendo quase impossível enxergá-los. Para tornar os números visíveis seus ponteiros tem […] […] pequenas lentes de aumento nas pontas, de maneira que ao olhar é possível apenas visualizar os números daquela hora e minuto. O relógio ainda é um conceito criado pelo designer Rafael Morgan, mas provavelmente logo estará sendo vendido, pois como eu disse no início, é uma idéia simples mas genial.

[Via Gizmodiva]

Já havia mostrado um pouco desta campanha a um tempo atrás, mas vale a pena mostrar novamente, pois consegui mais imagens do projeto. Esta foi uma campanha contra pirataria feita pelos designers Mirco Pagano e Moreno De Turco para a revista italiana de cultura pop vanguardista TBWA Italy. Foram usados 6500 cds para compor retratos de artistas como Bob Marley (destaque abaixo), tudo usando os próprios cds do artista, como se a pirataria tivesse matado eles, um baita trabalho de direção de arte. Os artistas precisaram de mais de 200 horas pra compor todas as imagens, que você confere abaixo:

cd-portraits-against-piracy-9cd-portraits-against-piracy-8cd-portraits-against-piracy-7

cd-portraits-against-piracy-6cd-portraits-against-piracy-5cd-portraits-against-piracy-4

cd-portraits-against-piracy-3cd-portraits-against-piracy-11cd-portraits-against-piracy-10

 

Fonte: Bored Panda

A designer Maria Grønlund criou esta identidade para o portal de planejamento de férias Blue Sky. Além de bela e bem estruturada, a marca passa uma ideia de tranquilidade, que é o que esperamos quando estamos de férias. Mas o que eu chamo a atenção nesta marca é o processo criativo usado pela designer na construção da identidade e também da própria marca marca, um bom exemplo do que deve ser feito quando criamos e que muitas vezes passa desapercebido pelos clientes ou para o grande público que acaba tendo contato com a marca. Confiram:

Sempre reforço que não devemos nos “meter a besta” para fazer algo que não somos especializados, tipo a velha história do “sobrinho” que tanto ouvimos no mundo do design e da criação. Quando se tem um trabalho técnico ou artístico para se fazer, entregue ao profissional adequado, senão acontece isso ai abaixo. O centro de Estudios Borjanos da Espanha, recebeu de uma descendente do pintor Elías García Martínez, a doação da obra “Ecce Homo”, um belo exemplar da imagem de Jesus Cristo pintada na parede da igreja Santuario de Misericórdia, o problema é que uma senhorinha de 80 anos, vendo que a obra estava danificada, resolveu restaurar e quando o orgão foi resgatar a pintura, tiveram esta surpresinha. Agora eu pergunto, será que não teve mesmo permissão da arquidiocese local? Tipo, ninguém soube que a velhinha resolveu “restaurar”? Lamentável que isso aconteça com tesouros artísticos da humanidade.

 

 

Fonte: Idea Fixa

 

 

 

Acontecerá até o dia 31 de julho o Censo organizado pela ADG- Associação dos Designers Gráficos, com o intuito de traçar um perfil da profissão e dos profissionais de design gráfico no Brasil. O questionário pode ser acessado clicando aqui, são no máximo 75 perguntas dos mais variados tipos, desde sua formação  até sua atuação e experiência no mercado, leva em média uns 20 minutos para responder e acho importante que todos participem, independente de questionamentos que você possa ter sobre legalização da profissão e tudo o mais. Lembrando que o formulário preenchido parcialmente não é salvo pelo sistema, portanto, é necessário responder a todas as perguntas. Vamos fazer a nossa parte, a minha eu já fiz!

Category: Design Gráfico – Postado por: Domenico Justo

Muitas empresas gostam de usar uma paleta de cor muito variada em suas marcas, o que não aconselho em caso de empresas que vão usar esta marca de forma impressa, pelo custo e problemas que isso costuma trazer em serigrafias, bordados e pantones, CMYK também costuma dar problemas quando precisa representar fielmente a gama de cor. Para uso em web e gadgets é bem mais fácil. Abaixo segue uma coleção de marcas coloridas para inspirar, caso queira usar mesmo assim na identidade da sua marca ou na do cliente.
https://i2.wp.com/www.designontherocks.xpg.com.br/wp-content/uploads/2012/05/35-50-colorful-logos.png
9-50-colorful-logos8-50-colorful-logos7-50-colorful-logos6-50-colorful-logos50-50-colorful-logos5-50-colorful-logos49-50-colorful-logos48-50-colorful-logos45-50-colorful-logos41-50-colorful-logos44-50-colorful-logos40-50-colorful-logos4-50-colorful-logos39-50-colorful-logos  33-50-colorful-logos34-50-colorful-logos32-50-colorful-logos26-50-colorful-logos31-50-colorful-logos30-50-colorful-logos  3-50-colorful-logos29-50-colorful-logos2-50-colorful-logos20-50-colorful-logos25-50-colorful-logos23-50-colorful-logos12-50-colorful-logos
22-50-colorful-logos  18-50-colorful-logos10-50-colorful-logos14-50-colorful-logos11-50-colorful-logos13-50-colorful-logos15-50-colorful-logos21-50-colorful-logos24-50-colorful-logos17-50-colorful-logos    19-50-colorful-logos36-50-colorful-logos

27-50-colorful-logos28-50-colorful-logos46-50-colorful-logos

37-50-colorful-logos38-50-colorful-logos42-50-colorful-logos43-50-colorful-logos47-50-colorful-logos

Fonte: Fuel Your Criativity

Intervenção Urbana é um tipo de manifestação artística, geralmente realizada em áreas centrais de grandes cidades. A intervenção urbana consiste em uma interação com um objeto artístico previamente existente ou com um espaço público, visando colocar em questão as percepções acerca do objeto artístico
Nesse post vamos apresentar 21 intervenções urbanas espalhadas no mundo.

Quem gosta de ilustração, normalmente gosta de um estilo dentro de toda a gama que a palavra agrega. Cartoon, surrealismo e até mesmo o hiperrealismo, são algumas das vertentes. Neste último, uma grande artista é Christina Empedocles com seus desenhos a lápis muito bem trabalhados e realistas. Dia 5 ela inaugurou uma exposição na galeria David B. Smith em Denver, Colorado. Abaixo seguem alguns trabalhos desta artísta incrível:





Fonte: Scene 360 Illusion

Este é o Marine Research Center, um barco que de acordo com seus criadores tem seu design inspirado em uma onda tsunami. O barco não seria feito para viajens, mas sim seria um local para estudantes e pesquisadores realizarem seus estudos e pesquisas no mar.

Quem o projetou foi uma agência de design chamada Solus4. O Marine Research Center seria projetado para ficar ancorado na praia de Kuta em Bali, uma das ilhas paradisíacas da Indonésia. O barco teria 2500 m² de área e seria equipado com laboratórios de pesquisa, uma piscina de água salgada, uma biblioteca e um auditório decorado com amplas janelas com vista para a superfície e áreas com vista para o fundo do mar. Ele seria capaz de gerar sua própria energia e água potável. A energia seria adquirida através do movimento das águas aliada a um projeto de eficiência energética que reduziria o consumo de energia utilizado nele. Veja a seguir mais imagens do projeto, clique na imagem para vê-la ampliada.

[Via Inhabitat]

Artistas especialistas nas manifestações urbanas se uniram para criar o A’Shop. O coletivo artístico cria as mais diversas e incríveis obras sempre inspiradas na mistura entre o grafite e as estéticas das artes.

Depois de concordarem que a cidade de Montreal estava com tons de cinza em excesso, decidiram criar um de seus projetos mais incríveis.

Image

Image

A criação do mural, em um prédio de 5 andares, necessitou de cinco artistas do coletivo e 16 dias seguidos de trabalho.

O muro foi transformado em uma obra de arte, baseada no movimento art nouveau. A imagem representa uma reinterpretação moderna de Our Lady of Grace, do checo Alphonse Mucha.

A iniciativa foi financiada pelo governo de Montreal, com o objetivo de incentivar e divulgar o potencial da arte de rua. O resultado ficou espetacular!

Image

por

Categorias: Arte, Realidade aumentada (RA), Tecnologia

Por: Domenico Justo

Quando vi a primeira foto deste parque eu já pensei: “WOW, quero muito ver isso!”, pois se trata de um parque que tem 16 instalações artísticas e musicais interativas, utilizando tudo o que há de mais top em tecnologia. Eles usaram algumas peças com realidade aumentada também. Bom, para quem quiser conhecer um pouco do Live Park, seguem as imagens e vídeo abaixo para ter só um gostinho, senão, vai ter que ir até Seoul:

Fonte: Fubiz

 

Um sonho para qualquer designer! A Wacom apresenta o modelo Inkling, uma tablet portátil capaz de digitalizar qualquer rabisco com um unico clique.

O estojo é a própria tablet, nele há uma caneta, um cabo USB, e um leitor responsável pelo processamento dos movimentos da caneta e transmissão do desenho vetorizado.

Vale a pena conhecer a Inkling. Afinal de contas, toda boa idéia começa num pedaço de papel.

Enviado em 05/09/2011 por André Felipe Ynouye, para o site designatento

fonte: http://www.designatento.com/design-produto/tecnologia/suas-ideias-no-papel-digitalizadas-em-um-clique.html

É mesmo incrível quando vemos algo tão cotidiano, que nos passa despercebido, sendo transformado em uma fonte de arte.

No caso de Max Zorn esse material é a fita adesiva.

As imagens são criadas apenas com fita adesiva sobreposta e um estilete. Impressionante o nível de detalhismo, o jogo de luz e sombra e as expressões que o artista consegue criar. A diferença de tons é feita apenas com a quantidade de camadas de fita deixando as obras lindas com um ar retrô de fotos antigas e uma estética de cinema.

Não é impressionante?

por

fonte: http://www.revistadesign.com.br/2/2012/03/01/quando-fita-adesiva-vira-arte/