arquivo

Douglas Viscardi

Totalmente diferente dos desenhos que vemos nos corpos tatuados por aí, o trabalho do tatuador Lukas Musil, encanta pelo exotismo incrível do seu risco. Bem fora do convencional, ele é um artista que transita entre o real e o abstrato, através de técnicas que muito se assemelham a traços e rabiscos, e até mesmo pinceladas que se destacam muito através das cores usadas. Dá até a vontade de fazer tattoos com ele, o problema é que o estúdio dele, o Tribo, fica em Praga, na República Tcheca.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: http://www.muralnamoda.com/2011/06/as-nada-convencionais-tattoos-de-lukas.html

Anúncios

Charles Wilkin é designer gráfico que produz colagens e montagens no Brooklyn, em Nova Iorque, onde trabalha e vive. Suas obras exploram muitos temas, concentra-se principalmente sobre as causas e efeitos associados à sobrecarga da mídia, utilizando plataformas tradicionais e digitais, causando reações inesperadas e emoções em quem as observa.

Nas imagens abaixo selecionei as obras da série “Full of Dead Ideas”. Confira:

No site de Charles Wilkin é possível conferir outras obras e coleções.

Fontes:

http://www.charlesscottwilkin.com/

http://www.muralnamoda.com/2012/07/as-colagens-psicodelicas-de-charles.html

Robert Farkas é um designer gráfico da Hungria que trabalha no Mito Hungria e faz design para sites e estampas para camisetas. Farkas é um artista de novas mídias e tem suas obras inspiradas em temas compostos baseados em lobos, leões, raposas e outros animais selvagens. Ele gosta de misturar a técnica da aquarela com soluções digitais. Os desenhos são divertidos, selvagens, limpos, estéticos e atuais.

Fontes:

http://society6.com/artist/astronaut

http://www.curioos.com/astronaut

http://www.emptykingdom.com/main/featured/robert-farkas/

http://www.muralnamoda.com/2012/09/os-desenhos-selvagens-de-robert-farkas.html

Quando você vê os desenhos hiper-realistas de Dirk Dzimirsky, dificilmente acredita que não são fotografias em preto e branco.

O artista alemão, nascido em 1965, começou a se dedicar profissionalmente em 2005, quando começou a trabalhar como ilustrador gráfico de livros.

Com um cuidado de luz e sombra sobre os desenhos, o artista representa em seu trabalho uma reação direta a mania de beleza e perfeição da mídia.

Fontes: http://www.dzimirsky.com/

http://br.noticias.yahoo.com/fotos/artista-faz-desenhos-realistas-com-l%C3%A1pis-1351604935-slideshow/dirk-dzimirsky-photo-1348783489.html

Erika Iris Simmons nasceu em St. Louis, mas passou a maior parte da infância em Orlando. Erika Iris ficou conhecida através da arte com reciclagem.

 

Auto intitulada artista autodidata, ela trabalha com materiais e conceitos pouco tradicionais. A maioria dos materiais que utiliza provém de doações ou são coisas que foram jogadas fora mesmo, como fitas cassete, cartões ou qualquer coisa.

Monet

Martin Luther King Junior

Oscar Wilde

 Simmons comenta que sempre tenta expressar uma ideia utilizando coisas comuns, com a esperança de que alguma mensagem seja transmitida sem palavras. Ela é fã de Ken Knowlton, do brasileiro Vik Muniz e de René Magritte.

Beethoven

Entre o trabalho mais conhecida de Erika Iris Simmons estão os retratos e ilustrações feitos com fitas cassete, sim elas mesmas, as velhas K7 e algumas VHS. Vejam algumas imagens:

Jimi Hendrix, a primeira arte de Erika Iris Simmons feita com fita K7

John Lennon

Bob Dylan

Audrey Graceful

The Clash

Traci Lords

Bob Marley

Marilyn Monroe

Michael Jackson

Quem quiser conhecer mais sobre a artista acesse http://www.iri5.com.

Fontes: http://www.iri5.com/

http://andafter.org/publicacoes/arte-de-erika-iris-simmons-_1700.html

http://www.cultpop.com.br/cultpop/erika-iris-simmons/

Samuel Silva tinha uma mania quando criança: desenhar no final de seus cadernos utilizando diversas técnicas. Com o tempo acabou por se dedicar à advocacia, mas sem abandonar sua grande paixão: o desenho.

Ele revela que sempre foi interessado em escultura, desenho e pintura desde que tinha 2 anos de idade e que comecei a desenhar e desenvolver a seu próprio estilo de desenho com caneta esferográfica quando  estava na escola, sala de aula desenhava seus simples esboços na parte de trás dos livros de exercícios.

Hoje, o artista amador faz questão de dizer que cria ou adapta ilustrações e quadros famosos apenas por diversão.

Samuel consegue este resultado utilizando apenas canetas esferográficas, destas que compramos em qualquer papelaria. O que muda é a dedicação e a paciência. Esta linda menina ruiva logo abaixo levou 30 horas para ficar pronta.

A reprodução do quadro “Moça com o brinco de pérola”, do pintor Johannes Vermeer levou 15 horas!

 “A única coisa que me faz continuar é o meu amor pelo que faço e a ambição de ir mais longe e mais longe. Canetas esferográficas são tão subestimado, mas como eles são um meio poderoso. E não é sobre o que você usa, é sobre como usá-lo”, fala Samuel Silva.

Fonte: http://blogdalu.magazineluiza.com.br/um-advogado-que-cria-obras-de-arte-utilizando-apenas-canetas-esferograficas/16583/2012/10/

http://vianaarts.deviantart.com/

Tom Whalen é um designer e ilustrador da Pennnsylvania, que gosta de unir seu trabalho e suas paixões, como histórias em quadrinhos, filmes, pop art, entre outros.

Whalen frequentou a Universidade Kutztown, onde sua paixão por desenhos foi cultivada, e onde desenvolveu interesse por tipografia. Segundo ele, o essencial é sempre estudar novas possibilidades, que possam ser adicionadas ao seu trabalho, para que sua criatividade possa ser explorada de diversas maneiras.

Seu meio comum de trabalho é a arte vetorizada, e ele explica que desenha cada personagem e elemento separadamente, pra poder focar em todos, sem ter que se preocupar inicialmente com a composição completa.

Fontes:

http://chocoladesign.com/posters-tom-whalen

http://strongstuff.net/