arquivo

Renan Martin

MISS LAKUNE é uma artista que possui uma coleção um tanto quanto assustadora,  fotos e obras de arte mixed media pertencentes ao inquietante, assustador e sobrenatural. 

Por minha procura sobre Lakune, achei muito difícil de se encontrar informação sobre tal. Pois assim, deixo logo abaixo contatos que provavelmente irão direto a ela.

E digo mais, ela sabe fazer muito bem isso, um trabalho profissional e com qualidade.

http://lakune.digart.pl/

https://www.facebook.com/MissLakune

 

Arte da transfiguração de Olivier de Sagazan transita entre o sofrimento, vida e morte.

Por mais de 20 anos, Olivier de Sagazan desenvolveu uma prática híbrida que integra pintura-ing, fotografia, escultura e performance. Em sua Transfiguração série existencial performativa, que começou em 2001, Sagazan constrói camadas de argila e pintura em seu próprio rosto e do corpo para transformar, desmontar e desfigurar seu rosto, revelando humano animalesco ano que está a tentar romper com o mundo físico. Ao mesmo tempo inquietante e profundamente comovente, este novo corpo de trabalho recolhe as fronteiras entre  físicos, sentidos intelectual, espiritual e animalesco.” Estou interessado em ver o que as pessoas acha o que é normal, ou até mesmo banal, de estar vivo” Olivier de Sagazan foi amplamente Exibido em França e na Europa, Canadá, Brasil, Coréia, em galerias de arte, museus e cinema festivais. Com um comentário Quase cult online, e rave sobre seu estilo expressivo e inimitável, não é de admirar a Sagazan de “arte corporal” notável trabalho é apresentado no filme Samsara não-verbal, a sequela de Baraka dirigido por Ron Fricke.

 

Veja uma performance altamente bizarro no vídeo abaixo ↓

 

 

Fonte: http://nefdesfous.free.fr/

Com todo o respeito aos japoneses, mas só com a paciência, disciplina e concentração típicos do povo de olhinhos puxados para conseguir criar obras espetaculares como estas! Estou falando das inacreditáveis instalações e esculturas de Motoi Yamamoto feitas de, sal! Elemento bastante representativo nos rituais funerários japoneses, ele é a matéria-prima do artista que passou a usá-lo como forma de aliviar a dor pela perda de sua irmã mais nova e assim homenageá-la. Motoi começou suas maravilhosas obras em 2001 e usando apenas uma garrafa plástica que serve para polvilhar o sal pelo chão, e as mãos, obtém os resultados que você confere abaixo. Além das instalações meticulosamente criadas e que podem exigir por exemplo, duas semanas de trabalho com 14 horas diárias, ele também faz escadas de sal (Utsusemi). A ideia é fazer um comparativo do quão somos frágeis perante os terremotos. Para demonstrar isto, após terminar cada escadaria ele simula um pequeno tremor para que os visitantes de suas exposições possam ver esta destruição. “Salgadamente legaus”!

Particularmente, essa me da até desespero só de imaginar ele construindo >.<

 

 

Fonte: http://www.motoi.biz/

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/as-esculturas-de-sal-de-motoi-yamamoto

Mikko é fotógrafo autodidata da Finlândia.
Começou a fotografar em dezembro de 2008. Desde então se apaixonou por fotos.

“Estou constantemente a tentar encontrar novas maneiras de ver o mundo.”

 

Fonte: http://www.flickr.com/people/latyrx/

Criação de uma obra de arte é um processo tão delicado que pode se sentir como se a cada passo é como caminhar sobre ovos. Imagine como intenso o processo seria se os ovos eram literalmente sua tela.

Franc Grom produz esculturas belas e semelhante a renda em cascas de ovos, inspirado pelo design esloveno tradicional. Cada ovo contém 2.500 a 17.000 pequenos buracos feitos com uma ferramenta elétrica pequena chato. Grom chama de seu marfim casca primas ovos de Páscoa.

Grom da atenção aos detalhes acentuando a natureza delicada da casca do ovo, criando vasos frágeis que se acendem de dentro.

fonte: http://www.huffingtonpost.com/2012/06/15/franc-grom_n_1598055.html

Artista Russ Mills cria estas imagens surpreendentes usando uma grande variedade de métodos tradicionais, incluindo pintura e desenho com tinta e lápis, mas também utilizando texturas digitalizadas, incluindo manchas de tinta (ou “desastres pintura”, como ele os chama), bem como de fotografia. As pinturas resultantes são escassos na cor, mas parecem conter quantidades explosivos de energia como mostrado nas escovas ásperas de tinta e os traços de lápis quase perfeitamente maníacos.
Russ Millas diz:

Meu trabalho habita em um submundo entre arte urbana e gráficos contemporâneos, uma colisão de mídia real e digital é principalmente ilustração baseada com uma base sólida em desenho, eu foco principalmente na forma humana especialmente o rosto, misturando elementos do reino animal muitas vezes reflectindo o absurdo da natureza humana.

Fonte: http://www.thisiscolossal.com/2012/06/digitally-assembled-paintings-by-russ-mills/

Tjalf Sparnaay

Na arte já existiram grandes nomes que permanecem até os dias de hoje como referências principais para os artistas modernos, isso porque nos dias atuais não se criam mais estilos depinturas, mas se copiam os antigos que já foram criados, pois está se acabando a “arte clássica” onde tudo era bem certinho, agora as pinturas são de acordo com que o pintordeseja se expressar.

Um estilo de pintura que ainda exige grande fidelidade do artista é a arte realista, pois através dela o pintor deve mostrar ao público algo que seja real, com traços fiéis e com alta qualidade nos efeitos aplicados, assim com tudo proporcionar um rápido entendimento de quem a vê.

Um grande artista que trabalha com obras realistas é o não muito conhecido Tjalf Sparnaay, um pintor holandês que pinta quadros realistas com a principal inspiração em alimentos. Os ricos detalhes de seus trabalhos chamam a atenção de todos, pois suas técnicas possuem um grau de dificuldade muito alto, veja alguns de seus trabalhos:

Fontes: http://www.pinturasemtela.com.br/a-arte-realista-de-tjalf-sparnaay/ e http://www.tjalfsparnaay.nl/actueel.html