arquivo

Noeli Santana

Não é raro escutar alguém dizer que fica meio deprimido no inverno ou em dias sem sol. Por quê será? O problema pode estar ligado à escala tonal composta, basicamente, de cinzas, presente nestes dias. Isso dá uma pequena mostra de como os sentimentos estão intimamente ligados às cores e como elas influenciam o humor.

Pensamos nelas o tempo inteiro. Seja no momento de escolher a roupa que usaremos ou na compra do carro. Mas, na hora de vestir a casa ainda somos muito cautelosos. Os tons mais neutros, na qual o branco é o melhor representante, são tradicionais e passam a certeza de um investimento seguro ao evitar surpresas desagradáveis. Porém, pouco a pouco, as cores vêm ganhando espaço e se impondo como elemento de decoração nas paredes de várias residências.

Entretanto, nada precisa ser radical. Podemos começar aos poucos para ir testando. Que tal, ao invés de colorir um ambiente inteiro, escolher uma parede ou optar por faixas, perto do teto, que percorram todos os lados? assim, além de renovar o ambiente, vamos entrando em contato com o mundo das sensações e ganhando confiança para vencer o medo e ousar um pouco mais. Agora, se depois de vencer a resistência inicial você ainda tiver dúvidas sobre que cor usar, não tem problema. Isso faz parte, porquê quando se trata de ambiente é preciso levar em consideração algumas coisas já que as cores alteram a sensação de espaço e funcionam como estimulantes ou calmantes.

Lugares de relaxamento, como quartos, pedem cores com mais branco na composição e em espaços com pouca luz natural é aconselhável usar bege, amarelo ou branco que ajudam a clarear. Os tons frios ampliam, sugerindo profundidade e os quentes e fortes reduzem o ambiente passando a sensação de proximidade.

   Antes de optar por uma gama tonal fique atento para as características das cores e para a utilização que fará dos ambientes. Dê preferência para os matizes mais claros, contrabalance com tons neutros e, claro, siga sempre seu gosto pessoal.

LILÁS (espiritualidade)

    AZUL (tranquilidade e paciência)

    VERDE (atenua o stress e estimula o silêncio)

    AMARELO (criatividade e alegria; desperta o raciocínio e a comunicação)

    LARANJA (atua sobre o sistema digestivo)

    VERMELHO (desperta a sexualidade)

    PRETO (isolamento e distância, mas também é sofisticação)

    BRANCO (pureza, paz e claridade)

Fonte: http://poloservicos.wordpress.com/2008/01/19/que-cor-usar/

 

Outro exemplo bem válido de como as cores estão ligadas ao nosso humor são os chamados “Esmaltes do Humor”. Mas, para o post não ficar bigmenso, quem tiver curiosidade pode dar uma olhada neste blog aqui e conferir uma das diversas marcas que tem este charme! ;D

Anúncios

Achei bem interessante o trabalho deste rapaz, pena que o link pro site dele não funciona mais…

Espero que tenham curtido e, quem sabe um dia a gente chega lah! ;D

O autor desses desenhos tem apenas 18 anos, mas percebe-se que a pouca idade não interfere no imenso talento do garoto. A partir de grafite ou carvão vegetal, o artista ucraniano faz verdadeiras obras-primas. Seus desenhos são espetaculares.

O jovem desenhista costuma fazer seus desenhos de celebridades, seja cantores, músicos, atores.

É incrível a perfeição dos detalhes! Confira então alguns desenhos:

desenhos feito a carvão angelina jolie

desenhos feito a carvão irmãos supernatural

desenhos feitos a carvão house

desenhos feito a carvão jack_sparrow

desenhos feito a carvão eduardo mão de tesoura

desenhos feito a carvão bruce_lee

desenhos feito a carvão coringa

http://www.aicaramba.net/celebridades/incriveis-desenhos-feitos-a-carvao-de-artistas-famosos/

Eles ainda são bem caros (o que em minha opinião, vai contra seu próprio conceito), por conta do seu apelo ecológico e por seu design, geralmente criado por arquitetos e designers reconhecidos.

As peças feitas de material reciclado tais como papelão, borracha, plástico e outros materiais compostos são uma tendência que acredito ter chegado para ficar.

Eu tenho uma cadeira feita de papelão prensado na minha casa do Studio Super Limão, que sempre chama atenção de todos que visitam… Por mais incrível que possa parecer, ela é resistente e confortável.

Vejam na foto abaixo a minha cadeira e outros tantos exemplos do que estou falando.

Fonte: http://www.casosdecasa.com.br/index.php/dicas-uteis/recicladosa/

Adoro a ideia de reciclar e recriar. Quando a criação é de muito bom gosto e bem feita merece nossa atenção.

Esse cara continua a surpreendre as pessoas com desenhos de giz em 3D sobre calçadas e leito de ruas.

Difícil de acreditar que estes são desenhados em uma superfície lisa de calçada FLAT.

(Clique nas imagens para vê-las em tamanho maior)

Me enviaram estas imagens por email a muito tempo, fiquei impressionada com a realidade e o talento deste artista. Espero que tenham gostado.

Se vocês, assim como eu, sempre ficam na dúvida sobre qual formato de cor utilizar em seus arquivos para web e impressões, encontrei algo que pode nos ajudar!

“Sua cabeça dói só de pensar em RGB e CMYK? São siglas em grego pra você? Seus problemas acabaram, chegou o super-hyper-mega-blaster “manuel” sobre o assunto:

RGB e CMYK são siglas que representam espaços de cores.

RGB são apenas 3 cores enquanto o CMYK são 4 cores. As 3 cores do RGB juntas podem gerar milhoes de outras cores secundárias, o mesmo acontece se misturarmos as 4 cores do CMYK.

É simples saber a diferença e quando utilizar cada um dos tipos de cores.

RGB – É formado pelas cores RED, GREEN & BLUE (VERMELHO, VERDE & AZUL). É utilizado em aparelhos eletrônicos que emitem as cores através de equipamentos elétricos, como os televisores, monitores, ipods, celulares etc. Esses equipamentos não conseguem produzir 4 cores do CMYK.

CMYK – É formado pelas cores CYAN, MAGENTA, YELLOW & BLACK (AZUL CALCINHA, ALGO QUASE ROSA, AMARELO & PRETO). Este formato de cor é utilizada para impressões em gráficas rápidas, gráficas com fotolitos e outros tipos de impressões.

Portanto, um trabalho para ser impresso em gráfica deve ser finalizado em CMYK. Vai fazer algo pra internet? RGB.

Observe a imagem abaixo:

Nela é possível notar: uma é o inverso da outra.

No RGB se você retirar as cores obtém o preto e, ao adicionar todas as cores, obtém o branco.

Já no CMYK funciona ao contrário. Ao adicionar as cores elas irão somar e a adição de todas as cores terá o preto. Olha a lógica disto: Você tem guache e está jogando tinta num papel. Se você jogar várias tintas diferentes em um mesmo local e misturá-las. O que vai acontecer? A cor final será preta.

E como eu disse anteriormente, o CMYK é utilizado em impressões, ou seja, com tintas…

Vamos ver se você entendeu:

  1. Você tirou uma fotografia com sua camera digital, e vai tratá-la no photoshop, ela está em qual formato de cor?
  2. Se você vai fazer um layout para um site, qual formato de cor deve ser utilizado?
  3. E se você vai fazer um anúncio para uma revista que será impressa em papel couchet 120g?

Respostas:

  1. Todas as câmeras digitais capturam as cores no modo RGB.
  2. RGB.
  3. Em CMYK. Não importa o papel em que será impresso o material, o que importa é que será impressa.

Se tiver dúvidas, antes de finalizar o arquivo, vale dar uma ligadinha para a gráfica e perguntar qual tipo de impressão eles utilizam.”

 

Fonte: http://www.fernandopaes.ppg.br/blog/2010/03/04/rgb-e-cmyk-o-que-sao-e-quando-usa-los/  – um pouquinho modificado… ;D

Espero que ajude!!!